Burnout

O que é Síndrome de Burnout

Síndrome de Burnout é o esgotamento físico e mental em resposta a um estresse laboral excessivo e crônico. Em outras palavras, trata-se de estresse persistente gerado em um contexto ocupacional, seja pelo ambiente ou condições de trabalho ou sobrecarga entre outros fatores que, quando não são gerenciados de forma correta, podem ocasionar prejuízos e problemas de ordem emocional ao trabalhador e por consequência, impactos, em alguma medida, na organização também.

O burnout se caracterizada por 3 componentes:

1. o esgotamento de energia física e emocional;
2. sentimentos de negativismo ou cinismo em que há distanciamento dos colegas, do trabalho em si e atitudes do próprio trabalhador que ele mesmo não se reconhece; 
3. uma redução da eficácia profissional.

Fatores de risco que podem levar ao esgotamento:

– sobrecarga;
– trabalhar em vários turno, horas extras ou longas jornadas;
– condições inadequadas ou de risco no trabalho;
– clima organizacional negativo e competitivo,
– falta de apoio de líderes e colegas;
– contato direto e frequente com clientes desrespeitosos ou intolerantes;
– assédio moral;
– falta de reconhecimento;
– baixos salários;
– pouca ou nenhuma oportunidade de promoção e desenvolvimento de carreira.
– características individuais como perfeccionismo, rigidez, ser workaholic ou levar um estilo de vida não saudável.

Sintomas

Burnout também é conhecido como “síndrome do esgotamento profissional” ou “depressão do trabalhador”. Embora não seja um transtorno mental de ansiedade ou depressão, vários sintomas se manifestam da mesma forma, porém por razões especificamente ocupacionais, por fatores estressores no contexto de trabalho, mal gerenciados como:

– cansaço excessivo;
– dor de cabeça e dores musculares;
– alterações no sono e no apetite;
– pressão alta, dores ou desconfortos intestinais;
– sudorese ou palpitação;
– dificuldade de concentração e lapsos de memória;
– mudanças no humor e maior irritabilidade;
– ansiedade;
– humor deprimido;
– perda do interesse e prazer pelas atividades;
– isolamento dos colegas e ausência no trabalho;
– pessimismo,
– baixa autoestima,
– queda na produtividade.

Esses sintomas, quando não tratados, podem evoluir para um quadro de ansiedade ou depressão.

 Como prevenir e tratar?

– adotar estilo de vida saudável;
– exercícios de meditação, de relaxamento;
– pequenas pausas durante o dia;
– atividades de lazer e passatempo;
– organizar rotina;
– não procrastinar;
– evitar excesso de perfeccionismo e competitividade;
– ter propósito;
– identificar os fatores estressores;
– identificar o que mais incomoda para tentar minimizar;
– psicoterapia para entender os próprios limites e recursos;
– avaliação médica (em alguns casos é necessário o uso de medicação).

Aviso: esse texto é meramente informativo e não substitui uma avaliação e tratamento. Caso tenha se identificado com as características acima descritas, procure uma avaliação profissional. 

foto criada por yanalya – br.freepik.com

Cristiane R. Garcia

Por Cristiane R. Garcia

Psicóloga e Psicoterapeuta - CRP 06/84018 - Psicóloga formada pelo Mackenzie há 14 anos. Especialista em Administração com Ênfase em RH pela FAAP e em Terapia Cognitivo Comportamental pela Faculdade de Medicina da USP. Atuou mais de de 10 anos em RH nas áreas de Recrutamento e Consultoria de Carreira em empresas como IBM e Catho. Desde 2015 atuando em Psicologia Clínica e Orientação Profissional/Vocacional. https://www.cristianegarcia.com

RSS
LinkedIn
Share